As bebidas gasosas engordam? Testamos o efeito delas sobre o corpo e temos a resposta | Bem Estar

0
1067


Máquina de refrigerante (Foto:  Mario Tama/Getty Images North America/AFP)Máquina de refrigerante (Foto:  Mario Tama/Getty Images North America/AFP)

Máquina de refrigerante (Foto: Mario Tama/Getty Images North America/AFP)

Todos sabemos que as bebidas gasosas açucaradas são supercalóricas – com o equivalente a sete colheres de chá de açúcar em uma lata.

Mas é apenas o açúcar da bebida que aumenta nossa cintura ou também podem ser as borbulhas?

Em um estudo feito no ano passado na Universidade Birzeit, nos territórios palestinos, os pesquisadores avaliaram um grupo de ratos machos dando a eles bebidas adoçadas gasosas (além de refrigerantes, águas saborizadas etc.) e sem gás ou água natural.

Eles descobriram que os ratos que tomaram regularmente as bebidas adoçadas gasosas ganharam mais peso e de maneira mais rápida do que aqueles que ficaram com as bebidas sem gás ou água.

E o exame de sangue comprovou: os ratos que tomaram as bebidas gasosas tinham um nível maior do hormônio da fome, a grelina, o que poderia explicar o ganho de peso.

Teste do sanduíche de queijo

Foi uma pesquisa tão interessante que a BBC pensou em fazer um teste similar, mas com humanos, no programa Trust Me I’m a Doctor (“Confie em mim, eu sou médico”, em tradução livre para o português). Com a ajuda do médico James Brown, da Universidade Astom, em Birmingham, recrutamos um grupo de voluntários saudáveis, mas não contamos a eles sobre o que era nosso experimento, para não influenciar de alguma forma o resultado.

Então em vez de contar a eles que o teste era sobre as borbulhas, dissemos que era para medir o impacto de bebidas com acúçar no sangue – o que em parte era verdade.

No começo do teste, os voluntários chegaram ao laboratório após 10 horas de jejum. Eles então receberam sanduíches de queijo idênticos para comer, para que todos tivessem um nível similar de grelina no sangue quando o teste começasse.

Uma hora após comerem o sanduíche, cada voluntário recebeu um dos tipos diferentes de refrigerante. Também receberam um copo de bebida adoçada gasosa e sem gás, um copo de água com gás e um de água.

Dez minutos após ingerirem as bebidas, o Brown fez um exame de sangue para medir o nível de grelina nos voluntários.

Depois, os voluntários foram liberados para ir embora – o único pedido foi que escrevessem numa cadernenta tudo que comessem, para o médico saber a quantidade de calorias ingeridas após as bebidas.

Eles tiveram que voltar ao laboratório mais três vezes nas semanas seguintes para comer o mesmo sanduíche de queijo e novamente tirar sangue. A cada vez, entretanto, tomaram uma bebida diferente.

Isso é conhecido como ensaio clínico cruzado – a ideia de testar diferentes coisas nas mesma pessoa em vez de apenas em um grupo. Isso significa que você pode produzir resultados estatísticos significativos com poucos voluntários.

Quando Brown analisou os números, reunimos os voluntários para contar a eles o propósito do estudo, que era para não apenas medir o impacto do açúcar no nosso corpo, mas também o das borbulhas das bebidas gasosas na nossa fome.

O médico descobriu que os níveis de grelina aumentaram quase 50% em quem tomou uma bebida adoçada gasosa. Após uma hora de sua ingestão, essas bebidas fizeram as pessoas terem muito mais fome do que quem tomou a versão sem gás.

Esse aumento da grelina não foi visto apenas em quem tomou as bebidas adoçadas gasosas; também houve um pequeno efeito quando a equipe de Brown comparou o impacto da água normal com a gaseificada.

Também quisemos saber qual foi o efeito na quantidade de comida ingerida de quem tomou as bebidas gaseificadas. E o resultado foi revelador.

“Quem tomou bebida gaseificada comeu uma média de 120 calorias a mais do que quem optou pela sem gás, e isso é realmente uma descoberta significante”, diz o médico James.

Mas por que as borbulhas deveriam ter esse efeito nos nossos sinais de fomes?

Não sabemos com certeza, mas o médico acredita que há duas possíveis razões.

“Uma é que depois de tomar uma bebida carbonatada, o dióxido de carbono é liberado em seu estômago. Existem receptores químicos no estômago que detectam o dióxido de carbono e fazem com que as células no topo do órgão liberem grelina e isso te faz sentir fome”, diz o médico. “Outra possibilidade é uma coisa mecânica. O estômago incha e se expande com esse gás e novamente estimula as células a liberarem grelina.”

Então é OK tomar bebidas adoçadas sem gás?

Na verdade, não. “A mensagem que levamos para casa, infelizmente, é que a opção mais saudável é a água natural, sem gás”, afirma o especialista.

Em termos de pesquisa científica ainda é cedo para avaliar o experimento, mas ele fornece outra boa razão pela qual as pessoas deveriam evitar bebidas gasosas adoçadas.





DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here