Emagrecer comendo? Saiba como Matheus perdeu 70 kg em 7 meses – R7 Meu Estilo

0
5100




O projeto do reality no youtube Se Comer Não Pare era ousado. O preparador físico Alexandre Bro, epecialista em transformação corporal e responsável técnico por todas as edições do reality Além do Peso, da RecordTV, queria provar que é possível perder peso sem uma dieta radical. Para comprovar sua tese, Bro iria acompanhar o processo de emagrecimento de um cobaia, o Matheus Toniazzi, de 150 quilos. O projeto previa reduzir esse número pela metade, em pouco mais de seis meses.


O canal mostrou o passo a passo da transformação e, para surpresa de muitos, o resultado é assombroso. No último episódio, é possível ver outro Matheus. Aquele, com 150 quilos, não existe mais. Em seu lugar, está um emotivo e empolgado Matheus que eliminou 70 quilos em apenas sete meses, sem cirurgias ou remédios. Nesta entrevista exclusiva para o R7, ele revela detalhes do processo, fala dos medos, dos maiores desafios e da imensa satisfação em ter atingido seu objetivo. 


R7 — Em primeiro lugar, você realmente acreditou que seria capaz de ser dividido “ao meio”?
Matheus Toniazzi — Confesso que, quando o Sargento Bro me convidou para participar desse projeto, fiquei bastante assustado, pois era uma proposta totalmente ousada e incerta: dividir um ator desconhecido e obeso ao meio, sem dietas malucas e restritivas; emagrecer comendo. Meu Deus! Será que isso vai dar certo? No fundo achava que não. Porém, como tinha acompanhado todas as temporadas do Além do Peso, da Record, sabia que estava em mãos abençoadas e que ao lado dele a minha vida iria mudar. Mas essa vitória só seria possível se eu me entregasse 100% e acreditasse em mim, e foi o que eu fiz. Eu me inscrevi em todas as temporadas do Além do peso e sempre bati na trave, então, quando veio o convite para o Se Comer Não Pare, por mais medo que tivesse, eu pensei: agora é a hora. Chegou a minha vez de lutar contra a balança, a obesidade e o sedentarismo.





Quais foram os piores momentos do projeto para você?
Matheus Toniazzi — Nossa, foram muitos, muitos mesmo, mas, existem cinco que nunca vou esquecer. O primeiro mês, sem sombra de dúvidas, foi o mais difícil. Me adaptar com os novos hábitos, com a reeducação alimentar e com a nova rotina de treinos e atividades físicas, com certeza foi de arrepiar. Nunca esqueço uma noite que liguei chorando para a minha mãe no Rio Grande do Sul, pois estava morrendo de fome e que não sabia o que fazer. Eu podia comer, porém, no dia seguinte tinha balança, e eu queria entregar um resultado satisfatório, até porque a ideia não era ter privações, e sim saber comer. Não aguentei, comi e no dia seguinte fui mais cedo para a academia treinar, antes da pesagem. A comida é um vício para um obeso, como se fosse uma droga. Ficar sem ela causa uma crise de abstinência e, se você não tiver controle, ela pode acabar com você. Nesse dia eu fraquejei, mas corri logo atrás do prejuízo e dei a volta por cima. Essas crises foram diminuindo com o passar do tempo.


O segundo momento foi no episódio 6, quando eu realmente descobri porque todos chamavam o Alexandre Bro de “Sargento Bro”. A produção fez uma pegadinha comigo, falaram que seria aula de dança e, quando fui ver, o Bro apareceu fardado na minha frente para um treino pesado, com um circuito funcional de tirar o fôlego. Foram momentos de dor que jamais vou esquecer, meu corpo não estava suportando tanta pressão, respiração ofegante e tudo tremia, achei que fosse morrer, rsrs, mas fui guerreiro e fui até o fim.

O terceiro momento foi mais uma que a produção aprontou comigo. Normalmente, sempre antes das pesagens, tinha um treino com o Bro, mas esse dia a produção inverteu, foi pesagem e depois treino. Detalhe: eu tinha tomado café da manhã e almoçado, claro que ia dar uma balança alterada. Chorei, fiquei mal pra caramba e, sim, deu diferença na hora de entregar o peso, mas fui com tudo nas atividades depois e conseguir descer um pouco.

O quarto momento foi quando o peso parou de descer, meu Deus do céu, que desespero. Existe um momento no processo de emagrecimento, que o corpo da aquela segurada, ele entende que você esteja doente, então dificulta a queima de calorias. Eu comecei uma rotina mais intensa de treinos (mais do que já era, rsrsrs) e tive que dar uma segurada na alimentação. Mesmo assim, fiquei umas duas ou 3 semanas com o peso na mesma, não havia jeito de descer; e eu ficava cada vez mais agoniado, pois tinha uma meta para bater.

E o quinto momento, foi a lesão que sofri em um treino na pista de atletismo, quase faltando um mês para o término do programa, aquele momento foi muito triste, eu só pensava, acabou, não vou conseguir.





Você pensou em desistir?
Matheus Toniazzi — Olha, vou ser sincero com vocês, eu pensei em alguns momentos em desistir, sim, principalmente no início, quando senti a pressão que era a minha nova rotina. Senti e vivi coisas que nunca imaginava que iria passar em minha vida, sofri muito, muito mesmo. Porém, existia algo dentro de mim que falava: vai, segue em frente, você pode, você é capaz, não para; foi quando eu descobri que isso se chamava força.


A partir de qual ponto você viu que daria para atingir o objetivo?
Matheus Toniazzi — Com certeza foi quando eu atingi os dois dígitos. Acho que o sonho de qualquer obeso, gordinho, é chegar na casa dos dois dígitos. E quando eu vi que já tinha deixado para trás mais de 53kg, eu pensei, eu vou conseguir, eu vou bater a meta, sim, eu posso.


Você sofreu até lesão no meio do caminho. E seguiu. Que lições tirou dessa experiência?
Matheus Toniazzi — A minha lesão foi um dos piores momentos dentro do reality. Eu pensei: já era, acabou, não vou conseguir, o Se Comer Não Pare termina aqui. A dor que senti quando virei o pé não era nada perto da dor de não poder treinar, de ter que ficar de repouso e pensar que poderia ser o fim. Mas como eu descobri essa força absurda dentro de mim, mais uma vez ela veio com tudo e me mostrou o caminho. Repousei, sim, mas comecei a fazer musculação treinando os membros superiores, peguei firme na natação e hidroginástica e segui todas as orientações e exercícios da minha fisioterapeuta. Quando eu vi, já estava a todo vapor treinando e correndo atrás do meu objetivo. Quando você se deparar com uma dificuldade, faça dela um trampolim para te jogar pra cima e você alcançar as suas metas. Temos que tirar algo de bom de tudo, mesmo quando for algo ruim, precisamos aprender a transformar os momentos em nossas vidas, porque só caindo é que aprendemos a levantar e isso nos fortalece cada vez mais. Nada e nem ninguém pode nos derrubar, isso que eu aprendi. A lesão virou motivação.





Você diz que não mudou só de corpo, mas de cabeça. Como acha que conseguiu?
Matheus Toniazzi — Bah (expressão dos gaúchos) que pergunta difícil. A transformação na vida de um obeso, de um sedentário, vai muito além do corpo. Se o processo conseguir mexer com a sua mente e com a sua alma, pronto, você descobriu o segredo, pois, esse é o verdadeiro segredo do emagrecimento; e isso aconteceu comigo. Não existe milagre. Existe dedicação, existe determinação, existe garra, existe coragem, temos que colocar intensidade e amor em tudo que a gente for fazer.  Se você não mudar sua cabeça, não vai adiantar nada, nada mesmo. Nem cirurgia, nem remédio, nem suplementos, nem dietas, nem atividade física, nem nada.  Se fizeres cirurgia, não vai poder comer de tudo depois, isso é lenda. Se tomar remédios, pode até ajudar, mas, se você parar, vai engordar o dobro depois, pois o que te deixava “magro” era o remédio, e não você. Se fizeres dietas malucas, por um período pode dar certo, mas e depois? E se não manter seus treinos com frequência vai voltar a engordar. Então, o que você precisa é encontrar um equilíbrio, mudar os seus hábitos e isso a gente só consegue quando mudarmos a nossa cabeça, não só para o emagrecimento, mas para tudo na vida. Graças a Deus, eu encontrei o equilíbrio, a força, junto a muita fé e perseverança. Sem isso a gente não vai pra frente.


Muita gente que vê suas fotos acha que é montagem… 
Matheus Toniazzi — Pois é, muita gente acha isso mesmo, até porque foi uma transformação e tanto, mas eu sei da minha história, eu sei da minha luta, eu sei o quanto foi difícil essa guerra e, o mais importante, eu sei que foi de verdade. Eu sei que sou real e que foi real. As pessoas apontam muito o dedo na cara dos outros, o que é normal; mas fica aqui uma pergunta: você conseguiria fazer o que eu fiz? Muitos me perguntam se fiz cirurgia bariátrica, se tomei remédios e tal, e eu respondo brincando que o que tomei foi vergonha na cara. Não julgo quem faça a cirurgia ou quem tome medicações, até porque cada um tem a sua luta e acho válidas todas as formas de buscar saúde, mas graças a Deus eu consegui da forma mais natural possível e tenho orgulho disso, não precisaria mentir ou fazer montagens. O que eu ganharia com isso? Eu seria uma fraude.

Que reações sua transformação desperta nas pessoas?
Matheus Toniazzi — Reações? A galera fica passada, em êxtase. Até hoje a minha família está de boca aberta. Me elogiam, tocam em mim pra ver se é real, meus familiares estavam muito preocupados com a minha saúde, então ver essa conquista é realmente muita alegria. Muitos não acreditam, outros vibram comigo, choram, se emocionam, enfim, é realmente um choque quando reencontro amigos e pessoas que não vejo há muito tempo.





Tem alguma coisa do antigo Matheus que você vai sentir falta?
Matheus Toniazzi — Sinceramente, não. O antigo Matheus morreu no final de 2016, quando tive uma síncope e fui parar no hospital devido a obesidade. Colesterol nas alturas, pressão alta, pré diabético e tudo mais. Hoje eu renasci, como uma fênix. Sou um novo homem, um novo Matheus. Porém, a minha essência continua a mesma. Meu coração continua cheio de amor, alegria e vida.


Quais foram, para você, os principais ganhos?
Matheus Toniazzi —  Foram muitos. Eu ganhei qualidade de vida, eu ganhei bem estar, eu ganhei disposição, eu recuperei minha autoestima, eu estou mais feliz, contente, estou transbordando alegria, eu consigo cruzar as pernas, eu consigo sentar em uma cadeira de praia, consigo sentar em cadeira e banquinhos de plástico sem quebrar, eu consigo entrar nas roupas que eu quiser, eu perdi a vergonha de ficar sem camiseta na frente dos outros, eu consigo amarrar o cadarço do tênis, eu consigo arrumar a cama sem cansar, eu domino o meu corpo e não ele que me domina, eu controlo a minha mente e não ela que me controla, eu estou vivo, eu ganhei amigos incríveis, eu conheci profissionais maravilhosos, parceiros incríveis, eu descobri a força que estava adormecida dentro de mim e, o mais importante de tudo, ganhei saúde, muita, mas muita saúde. Ah, eu aprendi que nada e nem ninguém pode me derrubar. E não poderia deixar de dizer que ganhei um anjo da guarda, o meu mestre Alexandre Bro, e um herói, meu professor Edu Gomes.


Como você se imagina daqui a um, dois anos? Acredita que vai conseguir se manter magro?
Matheus Toniazzi — Nossa, daqui dois anos? Então, prefiro viver o agora, isso é o mais importante. Fazer cada dia valer a pena. Correr atrás dos meus sonhos e realizar um por um, e eu sei que eu vou, porque eu não desisto e nunca vou desistir de nada. Tirei da minha vida coisas como: eu não consigo, não posso, to com preguiça, to cansado, amanhã eu faço, depois eu começo e etc. Agora é sempre muita positividade e energias boas. O mundo precisa disso.  A minha ideia não é ficar magro, eu quero, agora, correr atrás de um sonho que sempre tive, ficar com um corpo legal. Então vou me jogar mais uma vez nessa louca vida e quero ficar “fortinho”, musculoso e tal, gordo nunca mais, eu sei o que sofri com a obesidade. Nada mais me segura. Eu tenho asas e vou voar cada vez mais alto e, se eu cair, levanto e começo uma nova jornada.


Você tem medo de engordar?
Matheus Toniazzi — Não. Não mesmo. Eu aprendi como faz. O lema é só um: Se Comer, não pare (de se movimentar). Eu peguei gosto pela atividade física e não vejo mais a minha vida sem o esporte. Inicialmente era obrigação, hoje é paixão. E aprendi que o que faz mal é o excesso e o sedentarismo. Busque o seu equilíbrio, encontre a sua força e tenha fé. Essas são as armas mais importantes na luta contra a balança. O Se comer Não Pare acabou, venci essa batalha, mas a guerra é eterna. Então, mãos à obra. Sem parar.


Você pensa em usar sua experiência para ajudar outras pessoas?
Matheus Toniazzi — Com toda a certeza. Aliás, já venho ajudando muitas pessoas que me escrevem nas redes sociais; e o que eu puder fazer para inspirar essas pessoas na luta contra a obesidade e o sedentarismo, eu irei fazer. Com um ajudando o outro, com certeza venceremos esse mal. Eu sei quanto é difícil tudo isso, mas, falo com propriedade, não é impossível. Nada é impossível para aqueles que realmente acreditam e fazem de tudo para tornar seus sonhos e objetivos realidade. 





Como você resume este ano na sua vida? 
Matheus Toniazzi — O ano de 2017 foi, com certeza, um divisor de águas. Vivi a experiência mais incrível, louca e surreal da minha vida. Ele ficará para sempre guardado em meu coração, na minha memória e na minha pele. Para 2018, desejo a todos um ano recheado de saúde para conseguirmos lutar por tudo aquilo que acreditamos e desejamos. Você é capaz!  Nunca duvide disso. A dor é temporária, mas, a glória é para sempre. Frase do Sargento Bro. Eu consegui. Fui dividido ao meio. Foram 70kg e 100g eliminados em apenas 7 meses, sem cirurgias ou remédios, 540.000 calorias gastas em mais de 1000 horas de treino e 800 km percorridos de caminhadas e corridas. Todo dia é dia de cuidar da saúde. Não deixe para amanhã o que você pode começar e fazer hoje, uma hora pode ser tarde. É clichê, mas é a realidade. Graças a Deus eu sobrevivi e estou aqui compartilhando a minha história com vocês. Um super beijo no coração de cada um e lembrem-se de duas coisas: “Querer é fazer” e “Se comer, não pare”. Nunca pare!



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here