Até vacina homeopática integra rol de absurdos e boatos sobre febre amarela – 30/01/2018 – Claudia Collucci – Colunistas

0
6099


“Ns temos a vacina da febre amarela, baseado na homeopatia e biorressonncia, com eficcia ainda maior do que a vacina e o melhor, sem efeitos colaterais”.

A mensagem acima foi enviada nesta segunda (29) pelo mdico homeopata Clement Hjian, de So Paulo, a um grupo de pacientes. Um deles copiou a redao. Procurado pela Folha, o mdico disse que “no se trata de uma simples vacina, com frmula final pronta”.

“Absolutamente no. Trata-se sim de uma anlise personalizada para avaliar quais deficincias imunes e orgnicas esto presentes e como corrigi-las atravs da homeopatia”, afirmou.

Segundo ele, “graas a uma metodologia combinada de avaliao clnica e laboratorial possvel ter muito mais segurana e sem efeitos colaterais, promover a resposta imune para que a pessoa tenha condies de se defender contra a virose”.

“Em muitos casos, em que simplesmente a pessoa toma a vacina comum, sem avaliar se por exemplo poder ter reao vacinal, juntamente com alguma deficincia orgnica, a evoluo pode ser muito negativa e at mesmo fatal.”

Ele explica ainda que “a metodologia peca por no ter a mesma velocidade de aplicao da vacina convencional”. “Mas justamente porque feita a avaliao e a administrao personalizada das correes para a resposta contra a febre amarela, a segurana acaba sendo maior.”

No h nenhuma evidncia cientfica sobre supostos benefcios do tratamento. A homeopatia j foi banida da sade pblica de pases como Inglaterra e Austrlia, mas no Brasil a especialidade reconhecida pela AMB (Associao Mdica Brasileira) e est no SUS.

Na primeira conversa, por telefone, Hjian disse que preferiria que a matria no fosse publicada. “Voc vai me jogar na fogueira”, afirmou. Por fim, argumentou que a mensagem foi dirigida a um grupo restrito de pacientes e que recomenda a vacinao oficial caso eles pretendam viajar para reas de risco. “[A vacina homeoptica] um paliativo, um reforo complementar vacina da febre amarela”, disse.

Segundo o infectologista Marcos Boulos, diretor de comunicao do Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de So Paulo), ser instaurada uma sindicncia para apurar a conduta do mdico.

BOATOS

A “vacina homeoptica” vem a se somar a outros tantos absurdos que tm surgido com o avano dos casos e mortes de febre amarela. Inmeros boatos em forma de udios apcrifos inundam as redes sociais. H os que culpam o macaco pela transmisso do vrus, outros que dizem que a vacina “paralisa” o fgado e no deve ser tomada e tem at o boato de que uma suposta enfermeira de BH alegou que a febre amarela uma “inveno” do governo.

A combinao de boatos, ignorncia e oportunismo pode ser catastrfica em aes de sade. A atual matana de macacos no Rio de Janeiro, iniciada to logo o Estado comeou a confirmar os primeiros casos da doena, uma prova disso.

S no Estado do Rio de Janeiro, mais de 130 macacos foram encontrados mortos desde o incio do ano, 70% deles vtimas de agresses, como pedradas, pauladas, queimaduras e envenenamento causado por ingesto de chumbinho disfarado em bananas. Alm dos bugios, h saguis, macacos-pregos e at micos-lees-dourados (espcie ameaada de extino) na lista do massacre. Famlias inteiras de primatas j foram mortas. Algumas fmeas foram mortas ainda carregando filhotes no tero.

Macacos no transmitem a febre amarela, eles so to vtimas quanto ns. Os transmissores do vrus so os mosquitos (Haemagogus e o Sabethes, por enquanto). Ao matar primatas, os algozes atrapalham o monitoramento da doena, j que os macacos so sentinelas da febre amarela. O adoecimento e morte deles servem de indicador para que os agentes de sade iniciem campanhas e vacinao de bloqueio para evitar que a doena se espalhe.

No Rio, as equipes de vigilncia dizem que esto saindo mais para recolher animais assassinados do que para seguir o rastro do vrus e impedir que mais humanos se infectem. E no por falta de aviso. Desde o ano passado ocorrem campanhas locais para esclarecer a populao de que nada adianta matar macacos. Mas isso no tem sido suficiente, como mostram os nmeros do governo do Rio.

preciso virar esse jogo rpido. No caso dos macacos, fazer valer a lei n 9.605/98 que considera crime ambiental matar animais e prev pena de at um ano de priso e multa. Talvez mexendo no bolso e na liberdade de ir e vir, as pessoas pensem duas vezes antes de sair espalhando boatos ou praticando atrocidades.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here