Banco de esperma chinês procura bons comunistas como doadores – 11/04/2018 – Equilíbrio e Saúde

0
3940


O anúncio que buscava doadores de esperma impunha condições rigorosas.

Nada de calvície. Nada de doenças hereditárias como o daltonismo. E o banco do esperma do Terceiro Hospital da Universidade de Pequim também fez questão de esclarecer, se alguém ainda tivesse dúvidas: só aceitaria candidatos que demonstrassem profundo amor pela “pátria socialista”.

A campanha do presidente Xi Jinping para reconduzir o Partido Comunista a um papel central na vida cotidiana dos chineses levou faixas com dizeres socialistas às ruas das cidades, raps com letras nacionalistas às rádios, e heróis patrióticos às telas dos cinemas. Agora, Xi inspirou um novo teste de lealdade ao partido: na reprodução.

O anúncio postado pelo banco de esperma do hospital, que circulou amplamente pela mídia social chinesa nos últimos dias, mencionava apoio ao Partido Comunista e a Xi como os principais requisitos para os potenciais doadores. “O candidato deve ter bons pensamentos ideológicos”, o anúncio afirmava, ao descrever o doador ideal, “amar a pátria socialista, e apoiar a liderança do Partido Comunista chinês.”

Os homens que forem aceitos como doadores podem ganhar até cinco mil yuan, ou US$ 800, de acordo com o anúncio. O hospital aceita cerca de 19% dos inscritos, de acordo com uma reportagem publicada em 2016.

O anúncio, que gerou forte zombaria na mídia social, foi removido mais tarde.

“O amor pelo país e pelo partido começa já no espermatozoide”, escreveu sarcasticamente um usuário do site de microblogs chinês Weibo.

Diversos comentaristas questionaram as bases para os critérios de seleção. O anúncio também dizia que os candidatos precisavam respeitar a lei, ser honestos e corretos e livres de questões políticas.

“Onde está a prova científica?”, escreveu outro usuário do Weibo.

Um membro da equipe do Terceiro Hospital da Universidade de Pequim, contatado por telefone, preferiu não comentar.

A exigência de Xi quanto a lealdade intransigente ao partido vem encorajando ações exageradamente zelosas por parte de autoridades ansiosas por provar sua devoção. Críticos dizem que Xi está encorajando o retorno ao culto de personalidade, que caiu em desuso na China depois da era de Mao Tse-tung.

No governo de Xi, as autoridades também vêm falando frequentemente sobre a necessidade de instilar o chamado gene vermelho nas gerações mais jovens, em referência à necessidade de levar adiante as tradições comunistas.

William Callahan, professor de relações internacionais na London School of Economics, disse que o anúncio refletia os esforços de Xi para combinar ciência e ideologia.

“Nacionalismo e socialismo estão se combinando de maneiras peculiares para promover a identidade chinesa como uma raça consanguínea”, ele disse. “O anúncio sobre o banco de esperma mostra como o partido vem expandindo seu domínio sobre a política chinesa, e como o nacionalismo vem sendo definido cada vez mais em termos de pureza racial.”

O anúncio surge em um momento no qual os bancos de esperma chineses enfrentam pressão para atrair doadores, já que mais famílias estão buscando um segundo filho, depois de o governo relaxar a regra que só autorizava um filho por casal.

A China está sob pressão para expandir sua força de trabalho, com o envelhecimento da classe trabalhadora, e alguns bancos de esperma apelaram a mensagens patrióticas para convencer jovens a se tornarem doadores.

Há quem encare o anúncio com ceticismo, apontando que ele parece ser um caso isolado.

Hu Xijin, editor do “Global Times”, um jornal chinês fortemente nacionalista, disse que o anúncio era ridículo e que parecia ter sido concebido para provocar reportagens críticas na imprensa.

“Os líderes de organizações desse tipo, que causam acidentes como esse, deveriam ser responsabilizados e punidos pelos seus atos’, escreveu Hu em post no Weibo.

Tradução de Paulo Migliacci



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here