Cinco perguntas sobre a proposta da Anvisa para rótulos de alimentos – 22/05/2018 – Equilíbrio e Saúde

0
813


Qual é a proposta da Anvisa?

A ideia é incluir, na parte da frente do rótulo dos alimentos, uma advertência sobre a presença de alto teor de açúcar, gorduras saturadas e sódio —algo que, se consumido em excesso, pode constituir fator de risco para ganho de peso ou doenças crônicas. A medida ocorre após um grupo de trabalho constatar que o consumidor tem dificuldades para ler e entender informações presentes no rótulo.

Em que pé está a discussão?

A abertura do processo de mudança nas regras de rotulagem foi aprovada no ano passado. Desde então, o tema tem sido debatido entre entidades do setor. Nesta segunda (21), a agência divulgou relatório preliminar em que recomenda a adoção de modelo “semi-interpretativo de alertas” e sugere formatos a serem avaliados em consulta pública, aberta a contribuições por 45 dias. Pela definição, o modelo de advertência informa sobre a composição do produto, mas mantém autonomia do consumidor para decidir sobre a compra. Sugere opções como círculos, octógonos ou retângulos com lupa, todos com aviso de alto teor.

O que diz a indústria?

Afirma que colabora com o processo e enviou proposta à Anvisa em que defende modelo de “semáforo nutricional”, que une cores verde, amarela ou vermelha para baixo, médio e alto teor junto com dados sobre quantidade desses nutrientes. Esse tipo de proposta, porém, teve avaliação inicial menos favorável após estudos.

O que mais pode mudar?

A Anvisa também estuda alterações na tabela nutricional. Uma delas é incluir os “açúcares livres” (aqueles que são adicionados pela indústria) e “açúcares totais” (total de carboidratos do alimento, incluindo o açúcar adicionado) na lista de ingredientes de declaração obrigatória. Técnicos da agência também têm defendido que a declaração não ocorra mais por porção (como “três biscoitos”, “duas colheres”), mas pelo padrão de 100 g ou ml, o que facilita a comparação dos dados.

Como é em outros países?

Mais de 40 países já adotam algum tipo de rotulagem nutricional com informações na frente da embalagem. Modelo e formato variam. No Chile, o alerta ocorre por meio de octógonos pretos com frase sobre o alto teor. Já o Reino Unido usa dados e cores verde, amarela e vermelha, como “semáforo nutricional”. A França usa um sistema de escala de cores e letras, que vão de A a E, para classificar quão saudável é um alimento.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here