Quando os filhos voltam a morar com os pais | Blog Longevidade: modo de usar

0
516


Para começar, há a questão sensível da dependência econômica: seu filho ou filha teve que andar algumas casas para trás para tentar se aprumar de novo. A relação entre vocês também mudou, porque estamos falando de adultos com visões de mundo que podem ser até conflitantes. Mais: prepare-se para conviver de perto com a forma como seus netos estão sendo criados – e você pode não concordar com boa parte das ideias que são postas em prática. Por isso, não perca de vista um mantra: evite discussões. Respire fundo, conte até dez ou cem, e espere um momento mais tranquilo para expor seus pontos de vista.

Mesmo que pareça um pouco duro, tente estabelecer um prazo para esse arranjo, de forma que ele não perca o caráter provisório. Pode ser o tempo para arranjar outro emprego, pagar dívidas, conseguir um lugar menor para morar, enfim, ter um objetivo vai ajudar a alimentar o foco e recuperar a autoestima. Se a situação não for totalmente precária por parte dos novos moradores, eles devem contribuir em alguma medida com as despesas da casa: pagando as contas de luz e gás, por exemplo.

É fundamental zelar pela manutenção de um mínimo de privacidade. Seu quarto deve ser um território ao qual só se tem acesso mediante convite. Do contrário, corre-se o risco de encontrar os netos esparramados na cama vendo TV ou jogando videogame. A responsabilidade pela arrumação e limpeza tem que ser compartilhada, para ninguém achar que está num hotel e pode deixar pratos sujos empilhados na pia ou roupas no chão.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here